Tecnologia: essencial para a sua segurança

Colunista Cristiano Silveira traz novidades da Exposec, como o APP que detecta presença do agressor perto de mulheres vítimas de violência

Segurança é e sempre foi essencial para se ter uma vida em sociedade mais tranquila. O psicólogo Abraham Maslow, na década de 50, já afirmava isso no seu estudo de Hierarquia de necessidades, quando apresentou a segurança como uma necessidade muito importante, depois das fisiológicas. 



Não sei se Maslow tinha noção do que viria, mas com o grande emprego da tecnologia, a área de segurança teve um salto enorme em oferta de soluções. Na área de segurança eletrônica, também conhecida como segurança patrimonial, tem muita opção de produtos e serviços, desde câmeras, cercas eletrônicas, alarmes, sensores, rastreadores, dispositivos inteligentes, softwares sofisticados com inteligência artificial embarcada, robôs, drones, e por aí vai. 

E nessa semana passada, estive na maior feira de segurança eletrônica do país e uma das maiores da América Latina, a Exposec, que ocorre todos os anos em São Paulo, realizada pela Abese (Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança). Nesse ano, foi a 22ª edição da feira e reuniu mais de 800 expositores e passaram por lá 45 mil visitantes.

Dentre as tecnologias, uma que chamou muito a atenção foi um aplicativo que alertas mulheres que foram vítimas de violência quando o agressor está próximo. É um APP que monitora o agressor e se ele estiver próximo a vítima, dispara um alerta para um grupo de controle, autoridades de segurança pública e para uma lista de contatos cadastrados pela vítima. Para monitorar se o agressor está com o celular em mãos, o app solicita 20 vezes ao dia uma selfie.
O assunto foi tema de uma reportagem na Globonews. Veja o vídeo abaixo:

E dentre as inúmeras novidades da feira, uma me chamou a atenção e faço questão de registrar a presença. No espaço destinado as startups, estava expondo na Exposec a empresa On Security, que trabalha exclusivamente com segurança cibernética, já atua em nove estados do país e com presença em quatro países.
Aproveitando a ocasião, conversei com o diretor da On Security, Tomás Capiotti, gabrielense, que teve passagem pelo Santa Maria Tecnoparque e que atualmente é diretor da AGS (Associação Gaúcha de Startups).
Segundo Capiotti, a feira foi excelente, gerando bastante visibilidade. A empresa estava com um stand e teve a oportunidade de fazer uma palestra no segundo dia da feira sobre segurança cibernética, apresentando como a solução funciona, como evitar bloqueio de scripts maliciosos, bloquear acesso a banco de dados das empresas, roubo de informações dos usuários, dentre outros.
Ainda, Capiotti ratifica que, por ser a única empresa na Exposec falando sobre segurança cibernética, muita gente passou lá no stand da empresa.
E não é para menos. Com a nova Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), já aprovada, sua fiscalização entrará em vigor já em 2020, se a empresa estiver vulnerável e não cuidar apropriadamente dos dados de clientes e usuários, pode sofrer duras multas, que vão de 3% do faturamento até 50 milhões de reais.
Não tenho dúvidas que a tecnologia vai acelerar ainda mais as soluções na área de segurança, tanto na segurança eletrônica, como na segurança cibernética, principalmente com a aplicação de inteligência artificial e big data.
Com todas essas soluções de segurança, a pergunta que fica é: você realmente está dando atenção para a segurança de seu patrimônio, sites e os dispositivos que você tem?
Abraço e sucesso.
Cristiano Silveira 
Linkedin

Comentários

Mais lidos!

5 tendências tecnológicas para 2018