Pular para o conteúdo principal

É um pássaro? Avião? Superman? Não, é um drone!

Colunista Cristiano Silveira fala sobre a evolução dos drones no nosso dia a dia

Falar de drones (ou VANT - Veículo Aéreo Não Tripulado) não chega a ser novidade. Quem ainda não conhece um drone, um dos mais famosos é o Phantom 4 (foto ao lado), com 4 hélices e um controle muito prático. Geralmente, usado pelas empresas de filmagem para fazer tomadas aéreas e fica muito legal. 

As utilizações dos drones tem sido ampliada nesses últimos anos, desde as filmagens que mencionei, entregas de pequenos materiais, até mesmo para uso militar, de vigilância a operações de ataque. 
No que diz respeito à tecnologia, os drones estão avançando rápido. Câmeras de vigilância, sensores de calor, sensores de detecção de obstáculo, baterias cada vez com maior autonomia. O que está limitando o uso desses equipamentos voadores são as autorizações dos órgãos responsáveis por controlar o espaço aéreo.
No início, você pode até ficar incomodado com isso, achar que essa limitação prejudica o desenvolvimento. Mas tudo isso tem que ser muito bem observado e testado antes de liberar o uso geral.
Imagina se um drone, por algum problema elétrico ou eletrônico cai na cabeça de uma pessoa, quem seria o responsável? Logicamente o dono do drone, mas... quem é ele? Onde está? Como responsabilizar essa pessoa se hoje qualquer pessoa pode comprar um drone e em nenhum lugar é registrado o nome.

Claro que drones de empresas já fica mais fácil identificar, por isso grandes empresas já sacaram que os drones automatizarão, e muito, a logística de pequenos volumes.
Amazon já está em testes para entregas via drones faz tempo. Com o serviço PrimeAir, a Amazon faz entregas com drones autônomos, isto é, sem qualquer interferência de um piloto remoto.

Outra grande empresa que está muito forte nessa corrida das entregas por drones é o grupo do Google. A empresa Wing, que é a divisão de negócio da Alphabet (dona do Google e da Wing) para os drones, já está literalmente "voando" nessa corrida.
Percebendo a grande limitação das leis americanas na regulamentação do emprego dos drones, ela optou por iniciar seus testes massivos na Austrália. Segundo o Tecmundo, há 18 meses a Wing já faz entregas à domicílio, totalizando 3 mil entregas.
E para melhorar, a Wing (foto abaixo) recebeu o aval da CASA (Civil Aviation Safety Authority), que é a ANAC da Austrália, para usar as entregas por drones em caráter comercial. Assim, o serviço vai iniciar com entregas para 100 residências, em 3 bairros de Camberra, capital da Austrália. A próxima cidade que vai participar dos testes de entrega por drones é Helsinki, capital da Finlândia, com entregas até 1.500kg e em uma distância de até 10km.


As discussões são muitas ainda sobre os drones e principalmente sobre a sua utilização, mas uma coisa é certa: não tem mais volta. É uma tecnologia que chegou e com certeza será bastante utilizada, impactando fortemente nos processos logísticos. 
Já pensou, você comprar alguma coisa por seu smartphone e receber em pouco tempo em casa, em sua nova caixa de correspondência, chamada "droneporto"?
Abraço e sucesso
Cristiano Silveira Linkedin

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quer pagar como?

Colunista Cristiano Silveira comenta sobre a funcionalidade dos celulares para realizar pagamentos E aí, quer pagar como? Sim, uma pergunta desse tipo está cada vez mais comum no dia-a-dia. Antigamente, dinheiro e cheque estavam resolvendo. Aí veio a tal da tecnologia e acelerou tudo.  Sim, acelerou mesmo. Depois com a chegada dos cartões, crédito ou débito, ficou muito mais prático. Só colocar o cartão, digitar a senha e pronto! Não precisava mais carregar dinheiro ou cheque. Mas a tecnologia resolveu ajudar mais um pouco e então resolveram agregar acessórios e outras tecnologias, que inventaram as pulseiras ou até mesmo cartões que realizam o pagamento somente aproximando das maquininhas. Mas se deram conta de uma coisa: por que precisa carregar um cartão de crédito ou débito, se carrego o celular para todo o lugar? Pronto. Criaram os apps que armazenam os dados do seu cartão e servem como carteiras virtuais, onde você começa a pagar apenas aproximando o celular das maqu

3 tendências da tecnologia para 2020

*Texto publicado originalmente na coluna Tecnologia, do jornal Diário de Santa Maria, dia 25.02.2020 E aí, pessoal?! Estão curtindo o carnaval? Festa e agito, ou sofá e Netflix? Mas relaxa, a gente aproveita o carnaval como achar melhor. E falando em aproveitar, já que estamos prestes a iniciar o ano para valer, quero aproveitar para trazer para você as tendências da área de tecnologia que vão impactar a sua vida, seja pessoal, profissional ou social. Foto: Brasil de Fato São inúmeras as tecnologias que vão crescer esse ano, mas resolvi trazer aqui apenas 3 que considero bem importantes destacar. Essa observação foi dada pelo mestre Mauricio Benvenutti, sócio da  StartSe .  Ele mora no Vale do Silício, nos Estados Unidos, e em uma visita ao Brasil, ele comentou sobre as 3 tendências de tecnologia que estão mexendo com o Vale. A primeira, que está se disseminando muito rápido e que promete uma mega tendência em médio e longo prazo chama-se "Voice first". Nada ma

Novas linhas para os carros do futuro?

Colunista Cristiano Silveira comenta sobre o Tesla Cybertruck Semana passada foi marcada por uma novidade e tanto no mercado automobilístico. A chegada do novo carro da fabricante Tesla, a Cybertruck .  Logo de cara, o que mais chama a atenção no carro é o design. De ousado a horroroso, as pessoas não economizaram críticas e elogios ao novo modelo.  E o que você acha?  Foto: Tesla (divulgação) Mas quando se trata de criar carros, a Tesla não está para brincadeira. Eles criaram um carro ultra resistente, mais rápido que um Porsche 911 e mais forte que uma Ford F-150. Segundo o site de vendas da própria  Tesla , onde você pode customizar o seu pedido, existem três tipos de motorização: Single Motor RWD; Dual Motor AWD; e Tri Motor AWD, com autonomia de 250 milhas (402km), 300 milhas (482km) e 500 milhas (804km) respectivamente. Lembrando que a Cybertruck é 100% elétrica, não usa combustível fóssil.  Além da motorização, na customização do seu pedido, você pode acrescenta