Pular para o conteúdo principal

É a tecnologia impulsionando projetos sociais no mundo

Colunista traz belos exemplos de como a tecnologia pode ajudar a mudar o mundo, como o caso dos exames de miopia com óculos de realidade virtual

Nas minhas colunas, tenho reforçado constantemente o impacto da tecnologia no mundo, desde a mudança no mercado financeiro, os impactos da realidade virtualemprego da inteligência artificial, a conectividade que nos cerca com a internet das coisas e até mesmo na alimentação.

Além desses, outro grande impacto da tecnologia está no apoio de ações sociais pelo mundo. Com a grande conectividade que existe, principalmente por meio das redes sociais, podemos saber em instantes qualquer acontecimento no outro lado do mundo. Basta ter alguém lá para fazer o registro e pronto. No ar, ao vivo, em tempo real.
E isso tem proporcionado uma nova fase para os negócios sociais, aqueles que buscam resolver problemas sociais, não necessariamente sem visar o lucro. Projetos sociais pelo mundo inteiro têm ganhado uma imensa força, tanto de divulgação (como mencionei sobre as redes sociais), como de operação e arrecadação de fundos para a operação. Na operação, muitos desses projetos têm utilizado aplicativos, sites, equipamentos (que estão cada vez mais baratos) para solucionar problemas sociais que estão por toda a parte.
Um exemplo disso é a startup Eyenetra que utiliza a tecnologia dos óculos de realidade virtual para medir o grau de miopia da pessoa por meio de testes que são praticamente os mesmos realizados em um consultório de oftalmologia. Com isso, ele envia para o oftalmologista os dados da medição para, então, a prescrição da receita para novos óculos do paciente. Tudo muito rápido e sem a necessidade de muito espaço para aqueles grandes equipamentos.

Ano passado, conheci o diretor da empresa em um evento em São Paulo. Vitor Pamplona comentou que o ideia seria levar essa tecnologia para todo o canto do mundo, principalmente para regiões onde um oftalmologista não chega. E parece que tem dado certo. Quando falamos, a empresa já tinha presença em 55 países. Neste ano, já está em 87 países, com mais de 150 mil exames de olhos. É impressionante, não acham?!
Sobre a arrecadação de fundos para a operação do projeto, há inúmeros plataformas de crowdfunding (financiamento colaborativo) que atuam. O processo é praticamente o mesmo: cadastra o projeto na plataforma e a mesma faz a divulgação para que as pessoas possam investir no projeto. Para conferir a lista dos 10 maiores sites de financiamento coletivo no Brasil, acesse aqui. 
E mesmo sem toda essa realidade virtual, internet e demais itens tecnológicos, ainda sim o impacto de um projeto social pode ser imenso e ajudar muita gente.
Um grande exemplo disso é a empresa Apopo, que tem como seu trabalho a identificação de minas terrestres em países da África. O investimento em detecção dessas minas geralmente é alto e até mesmo o investimento em cães farejadores é considerado um problema porque seu peso detonaria uma mina terrestre. Nesse caso, a empresa investiu em uma "tecnologia" pouco usual: o treinamento de ratos para detecção das minas terrestres.

Isso mesmo! Segundo o fundador da empresa, Bart Weetjens, em matéria da Harvard Business Review, em sua infância os ratos foram seus animais de estimação e ele sabia que eram espertos e poderiam aprender facilmente. Assim, treinou ratos gigantes da Gâmbia para detectar minas, até porque pesavam pouco e não corriam o risco de detonar um desses artefatos. Nessa linha, também os treinou para identificar focos de tuberculose, por meio de amostras de expectoração. Assim, permitiu as clínicas em lugares remotos a identificar a tuberculose e providenciar rapidamente o tratamento.

Então caro leitor, a transformação de realidades por meio de ações e projetos sociais podem ser amplamente impulsionadas com o emprego da tecnologia. E como vimos, simples ações podem transformar a vida de muitas pessoas.
Faça parte desse movimento. Envolva-se. Participe. Realize.
Abraço e sucesso.
Publicada originalmente na coluna Tecnologia do Diário de Santa Maria

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Quer pagar como?

Colunista Cristiano Silveira comenta sobre a funcionalidade dos celulares para realizar pagamentos E aí, quer pagar como? Sim, uma pergunta desse tipo está cada vez mais comum no dia-a-dia. Antigamente, dinheiro e cheque estavam resolvendo. Aí veio a tal da tecnologia e acelerou tudo.  Sim, acelerou mesmo. Depois com a chegada dos cartões, crédito ou débito, ficou muito mais prático. Só colocar o cartão, digitar a senha e pronto! Não precisava mais carregar dinheiro ou cheque. Mas a tecnologia resolveu ajudar mais um pouco e então resolveram agregar acessórios e outras tecnologias, que inventaram as pulseiras ou até mesmo cartões que realizam o pagamento somente aproximando das maquininhas. Mas se deram conta de uma coisa: por que precisa carregar um cartão de crédito ou débito, se carrego o celular para todo o lugar? Pronto. Criaram os apps que armazenam os dados do seu cartão e servem como carteiras virtuais, onde você começa a pagar apenas aproximando o celular das maqu

3 tendências da tecnologia para 2020

*Texto publicado originalmente na coluna Tecnologia, do jornal Diário de Santa Maria, dia 25.02.2020 E aí, pessoal?! Estão curtindo o carnaval? Festa e agito, ou sofá e Netflix? Mas relaxa, a gente aproveita o carnaval como achar melhor. E falando em aproveitar, já que estamos prestes a iniciar o ano para valer, quero aproveitar para trazer para você as tendências da área de tecnologia que vão impactar a sua vida, seja pessoal, profissional ou social. Foto: Brasil de Fato São inúmeras as tecnologias que vão crescer esse ano, mas resolvi trazer aqui apenas 3 que considero bem importantes destacar. Essa observação foi dada pelo mestre Mauricio Benvenutti, sócio da  StartSe .  Ele mora no Vale do Silício, nos Estados Unidos, e em uma visita ao Brasil, ele comentou sobre as 3 tendências de tecnologia que estão mexendo com o Vale. A primeira, que está se disseminando muito rápido e que promete uma mega tendência em médio e longo prazo chama-se "Voice first". Nada ma

Novas linhas para os carros do futuro?

Colunista Cristiano Silveira comenta sobre o Tesla Cybertruck Semana passada foi marcada por uma novidade e tanto no mercado automobilístico. A chegada do novo carro da fabricante Tesla, a Cybertruck .  Logo de cara, o que mais chama a atenção no carro é o design. De ousado a horroroso, as pessoas não economizaram críticas e elogios ao novo modelo.  E o que você acha?  Foto: Tesla (divulgação) Mas quando se trata de criar carros, a Tesla não está para brincadeira. Eles criaram um carro ultra resistente, mais rápido que um Porsche 911 e mais forte que uma Ford F-150. Segundo o site de vendas da própria  Tesla , onde você pode customizar o seu pedido, existem três tipos de motorização: Single Motor RWD; Dual Motor AWD; e Tri Motor AWD, com autonomia de 250 milhas (402km), 300 milhas (482km) e 500 milhas (804km) respectivamente. Lembrando que a Cybertruck é 100% elétrica, não usa combustível fóssil.  Além da motorização, na customização do seu pedido, você pode acrescenta