Covid-19 será derrotado pela tecnologia

Coluna publicada na coluna Tecnologia, do jornal Diário de Santa Maria, dia 31.03.2020

Corrida contra o tempo! Essa frase define muito bem o momento que estamos vivendo com essa pandemia. 
De um lado, o novo Corona vírus, conhecido como covid-19. Do outro lado, um batalhão de pessoas trabalhando ao máximo para frear as contaminações, diminuir seus sintomas e parar os casos fatais.
Estamos falando do mundo inteiro envolvido nisso! 
Ao mesmo tempo que os hospitais trabalham 24h por dia para tratar os pacientes infectados, muita gente está trabalhando para dar suporte a tudo isso, seja na logística, segurança, insumos, seja na busca por uma vacina ou tratamento mais eficiente. 
E não é nada fácil. Para você acompanhar os casos no mundo, há vários sites que mostram os números atualizados. Um deles é uma página do navegador Bing. Nesse site, podemos notar que já ultrapassamos 775 mil casos confirmados no mundo, sendo mais de 575 mil casos ativos, 160 mil pacientes recuperados e mais de 36 mil casos fatais.

No caso do Brasil, pode acompanhar por essa página do Bing ou acompanhar os dados oficiais do Ministério da Saúde, pelo Painel Coronavírus. Os dados já sinalizam mais de 4.500 casos confirmados do covid-19 e 159 casos fatais.

E para tentar barrar esse avanço mundial, muitas pessoas estão utilizando a tecnologia para criar soluções que possam identificar mais rápido o vírus e melhorar o tratamento dos pacientes. É o caso da startup brasileira Hi Technologies, sediada em Curitiba, que desenvolveu um kit de testes para o Coronavírus que permite obter a resposta se o paciente possui ou não o vírus, em apenas 15 minutos, a um custo de apenas R$ 130,00 (US$ 25,00). Necessita apenas de uma conexão de internet para enviar os resultados. Segundo o site Labs, o CEO da startup, Marcus Fiqueredo afirma que os testes possuem uma precisão de 93% a 98% e devem ser aplicados quando o paciente já apresenta os sintomas do vírus. 
Esse teste da Hi Technologies é ainda mais rápido que o teste criado por engenheiros da University of Oxford e Oxford Suzhou Centre for Advanced Research (OSCAR). Segundo o site Tech Explorist, esse teste promete informar o resultado do exame em 30 minutos, para também pacientes que já apresentam os sintomas de infecção. 
E isso é uma excelente notícia, para acelerar o tratamento de quem tem o vírus e para testar os demais integrantes da família. Com esse tempo de testes rápido assim, permite isolar o paciente antes que ele continue a contaminar mais pessoas. Nessa linha, usando internet, segundo o site ABCdeSevilla, foi criado a plataforma Open Salud, que permite aos pacientes tirarem suas dúvidas com os médicos, de forma virtual. E em Santa Maria, já tem uma iniciativa parecida com essa. O Lauduz) é um site específico para atender as pessoas que apresentarem os sintomas do covid-19. Reúne uma rede de médicos, 24h por dia, que fazem o atendimento remoto. 
Outra tecnologia que está sendo muito usada são os aplicativos. Iniciativas como na Coréia do Sul inspiraram a criação do Corona Madrid, que permite às pessoas fazerem o download do aplicativo, fazerem o autoexame e terem acesso a recomendações de tratamento. Segundo o próprio site, isso permite manter as linhas de telefones descongestionadas e coletar informações mais precisas para os órgãos de saúde daquele país. 
Outra tecnologia que está sendo usada é a impressão 3D. Com a alta demanda de ventiladores pulmonares para o tratamento respiratório dos pacientes mais graves, acaba faltando componentes para reposição. Uma dessas peças são as válvulas, usada nas máscaras respiradoras, que devem ser trocadas a cada 8 horas. Para contornar isso, vários designers pelo mundo, usando o Telegram, compartilharam o design "open-source" para fabricação desses componentes para impressão 3D. Assim, qualquer pessoa que tiver uma impressora 3D pode colaborar imprimindo os componentes necessários. 
Fantástico isso! 

E em outro front de batalha, estão os cientistas de dados, trabalhando junto com os cientistas da medicina. Juntos, estão usando tecnologias como Big data, Inteligência Artificial para entender melhor o comportamento do vírus, suas mutações, para ajudar a desenvolver uma vacina. Existe uma iniciativa chamada Nextstrain, que é um projeto "open-source" que reúne muita informação atualizada para ajudar aumentar o entendimento epidemiológico e melhorar a resposta ao surto. 
Sabemos que essa "guerra" contra o vírus está no início, mas com todos trabalhando no mesmo lado, não há dúvida que teremos a cura para esse vírus e logo dará fim nessa pandemia. 
Os estragos dessa pandemia serão sentidos por muito tempo, mas todos nós, nesse momento, temos que fazer a nossa parte, ajudando os que mais precisam de suporte, como as pessoas da nossa família, vizinhos, como os médicos e enfermeiros, apoiando-os e motivando-os, porque esses estão lá dentro dos hospitais nesse combate direto. 
É corrida contra o tempo! 
Um grande abraço e sucesso. 

Comentários

Mais lidos!

Quer pagar como?

Novas linhas para os carros do futuro?

Chegada dos carros autônomos no Brasil. Será?